Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

WHERE IS MY MIND

WHERE IS MY MIND

Sex | 23.11.18

Shorts and autumn - Why not?

w-m-mind

43160330_292435434693987_7758163034954006528_n.jpg

Calções no Outono e Inverno, porque não?

Nos dias mais frescos, andamos mais aconchegados, com roupas mais quentes e por vezes deixamos de parte as saias e os calções. Mas para quem é fã deste tipo de peças, tal como eu sou, arranjo sempre uma maneira de ultrapassar a situação.

Podemos sempre optar por uns calções de um tecido mais quente e consistente, podemos sempre colocar uma meias até aos joelhos, ou até mesmo usar com meia calça, podemos usar com camisolões ou até mesmo com casacões, podemos dar asas à imaginação e usar e abusar deste tipo de peças, mesmo nos dias mais frios.

Para este outfit, apostei como peça chave, neste calções que adquiri nos saldos da stradivarius, tem um padrão de riscas bastante suave em tons de cinzento claro e rosa bebé. Sinceramente não dei nada por eles quando os vi, e quem até me foi buscar e mostrou foi o maridão, mas a verdade é que são uma peça bastante versátil, e que posso facilmente mudar de um estilo bem desportivo para algo bem mais casual chique.

Acho que o que dá mesmo pinta aos calções e que lhes dão o toque mais chique são os pormenores dos botões pretos com detalhes em dourado.

43162265_182338499311484_702512678026870784_n.jpg

Para completar este outfit decidi colocar uma daquelas t-shirts básicas com frases que a primark tem por apenas 2.50€, e ainda um casaco de malha básico tendo apenas como apontamento o facto de as mangas ser em balão também da primark e que veio cá para casa pelo pechincha de 3,00€.

Porque engane-se que para se ter um outfit completo precisamos de gastar muito, não podemos sempre comprar peças em conta e que podemos conjugar com diversas peças, o que é o caso das peças desta outfit, pois posso facilmente substituir por a t-shirt por um camisolão, ou ainda os calções por uma saia ou umas calças. As vezes o que é preciso mesmo são ter as escolhas certas, aos preços certos. Quem mais é dessa opinião?

43191381_173383253537811_3775010562212102144_n.jpg

43250628_163404497925389_4866146492659793920_n.jpg

T-shirt: Primark , Calções: Primark, Casaco: Primark, Óculos de Sol: Primark, Fita dos óculos: Feira

43278177_2750552538303980_8398139365653479424_n.jp

 

Um beijinho e até ao próximo post 

w.mind.png

 

Seg | 12.11.18

Quando ele (o marido) compra o teu outfit

w-m-mind

109_3302[1].JPG

Quase um outfit completo escolhido e comprado pelo marido (quem diria – anda a aprender umas aulas de moda o rapaz!)

No dia do meu aniversário eis que me surpreende com a compra de um outfit escolhido por ele – composto por uma saia, um casaco e umas botas.

Adorei de paixão as três peças que nem sei de qual delas vou falar primeiro.

109_3271[1].JPG

saia é um must para esta estação do ano. Uma saia em napa preta tendo com pormenores botões e um toque final das rendas. Com este tipo de saia vou acabar por conjugar com tantas peças de estilos diferentes e acabar por criar diversos outfits completamente diferentes.

Acho que este tipo de saias é daquelas peças que podemos adquirir e vão durar várias estações podendo criar outfits desde a estação do inverno até ao verão, bastando para isso alterar os sapatos e a peça que usarmos na parte de cima.

 

109_3278.JPG

109_3286.JPG

A segunda peça é este casaco estilo biker, em tom amarelo mostarda. Este tipo de cor é outra das cores tendências desta estação do ano. Sou sincera, não era uma cor das quais conseguiria apostar num casaco, mas surpreendeu-me bastante, tenho adorado de paixão e acho que é uma cor que acaba por conjugar muito bem com cores alegres, ou até mesmo com outfits monocromáticos.

Já estou a imaginar um outfit monocromático em tom preto e depois estilo casaco biker para cortar a vibe.

 

109_3291.JPG

Por último e não menos importante, estas botas estilo militar. Tive umas cinzentas que duraram anos, mas dado já o estado lastimável coloquei-as no lixo no ano passado, e acho que sinceramente ele ficou de olho o quanto eu tinha amor por elas e deu-me umas pretas este ano. Este tipo de botas a meu ver dão com tudo, dão com calças, com calções, com saias, com vestidos, e até arrisco-me a dizer que as via até num estilo mais formal (why not?)

109_3275.JPG

 Saia: Purple Fashion , Casaco: Purple Fashion , Botas : Marypaz, Mala: W52 , T-shirt: Bershka 

E vocês qual a peça que mais gostaram?

 

Um beijinho e até ao próximo post  

w.mind.png

 

 

 

 

 

 

Qua | 07.11.18

Amarelo torrado é o novo preto aqui no meu armário

w-m-mind

Amarelo torrado  é o novo preto aqui no meu armário

 

Amarelo nunca foi uma cor que me fascinasse, mas vou-vos dizer este amarelo-torrado, ou amarelo mostarda, como lhe queiram chamar é o meu novo preto. Parece uma cor que prende muito em termos de um outfit, mas enganem-se profundamente com isso, ele dá para conjugar perfeitamente com quase todas as cores outonais, até porque um dos grandes segredos com esta cor é contrastá-la com cores mais neutras, como é o caso do preto, do azul-marinho, ou até mesmo com um camel.  

Não precisamos de comprar uma dúzia de peças em neste tipo de tom, temos de saber é escolher uma ou duas peças chaves que nos permitam conjugar com diversas peças, e a partir dela criar diversos conjuntos.

 

sheincolagem.jpg

SheinShein , Shein, SheinShein )


Na minha opinião uma das peças mais versáteis, e que podemos conjugar com tudo, e em diferentes estilos, são os casacos. Podemos estar de calças, de saias, de calções, com um outfit monocromático, e com apenas um casaco irreverente dar logo outro ar.
Porque não usar um casacão amarelo por debaixo de um outfit monocromático em tons de preto e depois com um cinto só para dar aquele ar classy (adoro de paixão).

 

stradivariuscolagem.jpg

( Stradivarius, Stradivarius, Stradivarius, Stradivarius, Stradivarius


Outra peça que pode ser um must no guarda-vestidos e podemos conjugar em enumeras ocasiões é uma saia em tom amarelo. Podemos conjugar com um camisolão de malha, ou até mesmo um camisolão de capuz, para algo mais casual, ou com uma camisa ou blazer, para uma situação mais casual chique.

Eu sou sincera adoro ver saias com camisolões e ténis, e depois para dar um ar de mais arrumadinho, uns brincos e um cinto, e está tudo arranjadinho. Mas sejamos sinceros, a minha definição de moda, é muito aquém. Eu gosto de uma peça, e quer seja moda, quer não seja, eu visto e ponto.

 

pullcolagem.jpg

Camisolões de malha, é aquela peça que não falta no guarda-vestidos de ninguém no Outono/Inverno.  Uma camisola de malha, é o conforto e aconchego dos dias mais frios de Inverno. Mais crop, mais compridos, estilo oversized, as camisolas de malha dão com tudo e mais alguma coisa. 

O bom da moda é sabermos comprar peças versáteis e que nos permita criar vários outfits tendo como peça chave apenas essa peça, permitindo-nos ainda que sejam peças que fiquem de uns anos para os outros, até porque pode deixar de ser tendência num outro ano, mas também podem ser peças que nos permitam conjugar com futuras tendências.

 

Um beijinho e até ao próximo post 

w.mind.png

 

Sex | 02.11.18

Leitura do momento - Os bebés de Auschwitz

w-m-mind

39153062_515960445528459_5153538048813694976_n.jpg

 

OS BEBÉS DE AUSCHWITZ - O LIVRO QUE NOS LEVA A VER A VIDA DE OUTRA MANEIRA

Os campos de concentração de Auschwitz sempre foi algo que me revoltou, que me incomodou, mas que por outro lado me interessou sempre bastante saber histórias verídicas do que realmente se passou lá dentro, pois deve ser das épocas históricas mundiais que mais mexeram com o mundo em geral, com a desumanidade e todas as repercussões que tiveram.

O livro que vos trago hoje aqui é a história de três mulheres que viveram nos campos de Auschwitz, e que no meio de milhares pessoas, incluindo crianças, idosos, mantinham um segredo – traziam ao mundo mais uma vida. Mas para isso tinham de sobreviver a toda a suplício que vida foi nesse tempo para os Judeus.

 

Em 1994, Priska, Rachel e Anka, chegaram a Auschwitz . Dentro delas apenas morava o sentimento de medo e da incerteza do seu futuro, pois encontravam-se sozinhas, mesmo estando naquele campo com os respectivos maridos e até mesmo familiares, mas lá era tudo muito diferente, cada um tinha de sobreviver sozinho.

Estas três mulheres tinham em comum um segredo:estavam grávidas.

As mulheres grávidas nos campos de concentração eram consideradas inúteis (eram comparadas ás pessoas doentes), e corriam mesmo risco de vida, pois podiam ser mortas a qualquer momento (sendo que claramente todas as pessoas tinham esse receio, mas estar grávida poderia acelerar a chegada desse momento) e por isso mesmo sempre que eram questionadas pelos médicos negavam a sua gravidez, mesmo tendo consciência de que caso fossem apanhadas a mentir as consequências iriam ser horríveis, mas a verdade é que no caso delas a mentira teve um efeito milagroso e salvou a vida aos seus bebés.

Ao longo do livro é descrita a vida que estas três mulheres viveram antes de serem apanhadas e levadas para os campos de concentração, e depois de integrarem os campos de concentração(delas e das milhares de pessoas que lá passaram, mas que muitas não tiveram a sorte de sobreviver para contar).

Dentro dos campos, era uma questão de sobrevivência, e muitas das vezes mesmo que as pessoas lutassem com todas as forças, não era possível, acabando por falecer, ou por serem mortas.

As pessoas passavam a viver em condições precárias, passaram a ter restrições drásticas de comida, não sendo minimamente suficiente para se alimentarem, quando não eram castigados e não tinham direito a nenhum bocado de comida, sendo que mesmo quando tinham direito a comida estava estragada, era feita de restos de comidas, ou estavam já mesmo podres. As coisas eram tão trágicas, que o facto de tomarem um banho de água fria (o que era muito raro), para eles era significado de vida, pois podiam minimamente limpar o corpo, e mais importante que isso conseguiam matar a sede.

Falta de higiene, que originavam doenças, e posteriormente epidemias, e ninguém se preocupava com isso, pois se morressem “já não tinham trabalho a mata-los” , escravidão, condições desumanas.

 

 “Muitas prisioneiras desmoronaram naquelas condições pavorosas. Infestadas de piolhos, passavam o dia e a noite se coçando, até se ferir. Delirando de fome, algumas desmaiavam. (…) Seus corpos se deterioravam ainda mais debaixo daquelas roupas imundas (…)

Os mortos eram empilhados num canto, formando um amontoado macabro de membros brancos.”

 

39169663_274864726666215_8362692721386717184_n.jpg

 

Opinião sobre a edição deste livro: Sem dúvida que é um livro que vale cada página, retrata tão bem tudo o que se passou nesse tipo de campos criados por Hitler.

Esta edição está muito bem conseguida, pois para além de escrita bastante atraente, ainda tem imagens ilustrativas bastantes interessantes.  

 

Este é daqueles livros que deve de ser lido no silêncio total, e tentarmos viver a experiência daquelas pessoas, na nossa pele, e pensar que aquele bocado de pão que já não nos apetece ao pequeno-almoço, o resto da comida que fica no prato ao meio dia, era o que muita gente precisava naquele momento, e infelizmente hoje em dia não por causa daquelas condições, mas por outro tipo de situações, tem pessoas que precisam disso. É um livro que me fez ver esses pequenos apontamentos do nosso dia-a-dia faz toda a diferença para outra pessoa. Passei a tirar menos comida para o prato, para não deixar nada no prato.

 

Outro tipo de crescimento pessoal que este livro nos dá, é sem dúvida o optimismo. Estas três mulheres nunca perderam a esperança de que um dia tudo iria mudar, e tudo ia ser melhor.

 

Este livro devia de passar pelas mesinhas de cabeceira de toda a gente.

 

Um beijinho e até ao próximo post